terça-feira, 6 de novembro de 2007

AS maçãs que envolvem os corpos de aço do mar aberto em vertentes inmultiunicoloridas.
Não se sabe exatamente
N
ão
Se
sa
be

Insights
Em
Todas
direções

Significam o quê?

Eles têm fome de quê?

Fome de um poder a nós vedado

Então eu faço o caminho a este poder,
designado neste momento como unidade de prefixos uni passadopresentefuturo, a saber:

A B S O L U T O

E crio os sucessores do homo sapiens
E estes assim por diante
Estes
Assim
Por
diante
N
U
M
E
X
P
I
R
A
L RASGANDO E CONTENDO E SENDO TODAS AS DIREÇÕES E CADATODONEHUMPONTONÃOPONTO

Existencialmente não resolve minhas carências de ser:

D E U S

Muito menos as de ser tudo aquilo que está aquémentrealém ao

H O M O S A P I E N S

Então pra me embriagar eu posso fazer um pequeno fluxo:
Aspegadasdajangadaarrebataramovelhoemoçosernãoserdoservirasermeuamigomantasjamantasamarasieaotodoeoseiofaltouaobebenãoservedeconsoloao

H O M O S A P I E N S I L U S Ã O D E T R A N S C E ND Ê N C I A A O H O M O S A P E I N S

Um comentário:

guto disse...

Muita potencia para poucos comentários... uma pena. Ou a falta de interesse ou a falta de paciência? Sei que passei os olhos, porque não acreditei nos gritos solos ao escuro. Enfim, vi um brócolis, o-brocolis fractal? é dessas piras que falas? Uma vez tu disse: "eu falo basicamente de Nietzche". Achei prepotente na época, não sei se ainda o é, nem se foi, mas leio uma potência pra caralho... e um "ernãoserdoserviraserm" vir-a-ser que seja que me remete muito aos devires rizomáticos dum tal Deleuze e Guatarri...lestes algo dos moços? Que outras coisas andam passando por essa cabeça poeta?

ou vai além?